Descrição

Contexto

Os diferentes componentes dos sistemas florestais, em especial as plantas dos diferentes estratos vegetais e o solo, podem fixar quantidades significativas de carbono através de diferentes processos. No entanto, após um incêndio florestal, o ecossistema liberta o carbono previamente fixado da atmosfera.

Dado o aumento dos incêndios florestais na zona SUDOE, o REMAS surge da necessidade de quantificar o risco de emissão de carbono, através de um modelo de detecção remota que relaciona o carbono contido na biomassa aérea e subterrânea e no solo.

O REMAS abordará

Soluções baseadas em análises científicas para identificar áreas críticas de maior risco de emissões, face à quantidade de carbono acumulada no ecossistema florestal, a fim de optimizar os esforços da prevenção, gestão, extinção e recuperação.

O REMAS transferirá

O conhecimento para outras autoridades competentes relacionadas com a prevenção e gestão de riscos assim como para os proprietários florestais, através da formação técnica.

O REMAS capitalizará

Os resultados em estratégias, a medio-longo prazo, da UE e de cada país da parceria relacionadas com a adaptação às alterações climáticas, as florestas e a gestão do stock de carbono, de modo a melhorar a governança no ordenamento e na gestão dos recursos naturais.